Entretenimento

Qual influência a Copa pode ter sobre os preços pecuários?

O indicador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada – CEPEA recuou quase 5,00% desde o início do ano, passando de R$ 145,90/@ do dia 02 de janeiro para a última referência em R$ 138,80/@ (21 de junho/18). O movimento pode ser considerado normal, afinal, estamos nos estertores do período de safra.

Já de olho no início da entressafra, os preços pecuários se mostram mais firmes. Além disso, 2018 é ano de eleição e de Copa do mundo.

As eleições possuem uma forte correlação positiva com a valorização da arroba no segundo semestre, mas fica a dúvida sobre qual costuma ser o impacto da Copa do Mundo sobre as cotações.

Para tanto, quando se considera a variação do indicador CEPEA nos meses em que se disputa a Copa do Mundo, nota-se que nos anos de competição, o valor praticado pelo boi gordo subiu em maior intensidade.

Na média, a cotação avançou 1,91% quando o torneio estava presente (em julho com relação ao mês anterior). Sem a Copa, os preços recuaram na média de 0,03% entre os dois meses (gráfico 1).

Nos dois cenários analisados, os preços sobem entre junho e agosto, período de sazonal transição da safra para entressafra. Mas a expectativa de melhor consumo pelo torneio, historicamente, oferece suporte para preços mais firmes.

Crédito: Reprodução

No mesmo período, os preços do atacado têm tendências opostas em anos de Copa do Mundo frente aqueles sem a competição.

Sazonalmente os preços no atacado ganham fôlego conforme a entressafra exerce pressão positiva. Mas nos anos de Copa do Mundo (com expectativa de alta para o escoamento da carne), o movimento positivo se antecede e normalmente se ajusta depois, em agosto (gráfico 2).

Na média das últimas três copas, o fortalecimento da carcaça casada bovina foi em torno de 10% em julho.

Crédito: Reprodução

Na esteira, os preços mais altos do atacado favorecem o spread carne com osso/arroba da indústria, ampliando o volume de animais abatidos em junho e julho durante os anos com a competição, com ajustes em agosto (seguindo a tendência do atacado).

Crédito: Reprodução

Perspectivas para este ano

Muito possivelmente, o efeito da Copa do Mundo deve ser menor este ano. E a paralisação pesou expressivamente para o cenário atual.

Os valores do atacado, por exemplo, foram fortemente impactados pelo período de desabastecimento, com o boi casado subindo quase 10% entre o início da paralisação e a máxima de junho. E agora se ajustam a níveis menores que o observado antes da greve.

Além disso, as exportações também sofreram quedas expressivas pela dificuldade de embarque, com os dados parciais de junho apontando para queda de 40% ante os embarques de maio.

No radar também existem os fatores macro e microeconômicos, com o último boletim Focus do Banco Central ajustando negativamente a perspectiva de crescimento do PIB pela 8º semana consecutiva. Em 30 dias, o cálculo passou de 2,37 para 1,55%.

E ainda, a pesquisa da Associação Comercial de São Paulo revelou alta de 4 p.p. para os brasileiros que não pretendem alterar o hábito de consumo durante esta Copa em relação a última competição. Com a proporção atual em 87%.

Ou seja, em meio a um cenário de incertezas, aversão ao risco, medidas protecionistas internacionalmente e consumo interno fragilizado, a Copa do Mundo não deve conseguir alterar expressivamente a dinâmica de preços.

Mas o viés para os preços pecuários continua altista, pautado especialmente no ajuste da oferta de animais na entressafra, em uma possível queda do 1º giro de confinamento, e recuperação das exportações (que sazonalmente ganham fôlego no 2º semestre, e agora com incentivo do câmbio fortalecido).

E ainda em uma gradual melhora do consumo interno (especialmente com as eleições presidenciais que podem subir o ritmo de escoamento da carne no atacado), podendo oferecer suporte ao movimento de alta.

Fonte/Créditos: AgriFatto, Gustavo Machado 

Tag

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *