AgronegócioEconomiaPesquisa

Produtores do norte de Minas apostam em variedade de sorgo

Inúmeras tentativas vêm sendo trabalhadas para melhorar a convivência com a seca no Norte de Minas.

Foto: Reprodução Internet

Inúmeras tentativas vêm sendo trabalhadas melhorar a convivência com a seca no Norte de Minas. Na atividade de bovinocultura, os produtores estão apostando em novas variedades de sorgo, como o BRS 655 e o BRS 658. Ambos apresentam maior resistência ao fenômeno climático, com boa produtividade. Eles foram desenvolvidos pela Embrapa Milho e Sorgo para atender à crescente demanda por produtos que apresentem maior eficiência e melhor qualidade na alimentação do rebanho.

Na última semana, a Emater-MG realizou um Dia de Campo na Fazenda Cachoeira, no município de Bocaiuva, para apresentar as variedades do sorgo e discutir as suas características nutricionais e agronômicas. O BRS 658, por exemplo, foi lançando há pouco tempo e apresenta uma cor mais escura que o BRS 655.

“O sorgo BRS 658 ainda é uma novidade no mercado. A sua grande vantagem é a estabilidade de alta produção e resistência à seca, além do baixo custo de produção e melhor qualidade de forragem, com média de 50 a 60 toneladas por hectare de produção de massa verde. Ele leva de 100 a 110 dias para o ponto de ensilagem”, afirmou o coordenador técnico da Emater-MG, Luiz Aroldo Almeida.

Segundo o técnico da Emater-MG em Bocaiuva, Iran Ferreira, quase 70% dos produtores no município já adotaram a tecnologia e a expectativa é que haja uma produção melhor que a dos anos anteriores. “O nosso objetivo é aumentar a produtividade do sorgo e dispor de uma alimentação bovina acessível e ao mesmo tempo, mais saudável”, ressaltou.

O produtor Rone Leite Fonseca investiu nas duas variedades do sorgo, o BRS 655 e o BRS 658. Ele está confiante quanto aos resultados que a produção deve trazer. “O retorno que temos com esses tipos de sorgo é muito significativo, tanto na produção, quanto financeiramente. Acredito que a produção deste ano atenderá o período da seca”, comentou.

Fonte: Emater-MG

Tag

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *