Economia

O que os pecuaristas dos EUA temiam, está próximo!

A proposta da China de incluir tarifas sobre a carne bovina dos EUA confirmou o pior cenário para os pecuaristas

Foto: Reprodução Internet

Apesar dos receios, os pecuaristas dos EUA seguem confiantes de que a disputa possa ser resolvida rapidamente.

A China listou mercadorias dos EUA de soja a carne bovina que poderiam incorrer em uma tarifa de importação de 25% até o final de maio, se Washington cumprir sua ameaça de levantar impostos similares sobre produtos chineses.

O acirramento dessa disputa comercial seria um duro golpe para a indústria de carne bovina e os pecuaristas dos EUA, que tem visto um aumento nos estoques em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Vale lembrar que em junho de 2017, as exportações de carne bovina dos EUA retornaram à China após embargos de 14 anos em relação às preocupações com a doença da vaca louca (clique aqui). Algumas restrições permanecem em vigor, juntamente com uma taxa de 12% sobre as importações de carne bovina dos Estados Unidos, de acordo com a US Meat Export Federation (USMEF).

Os dados da USMEF mostraram que as exportações de carne bovina dos Estados Unidos para a China após a reabertura do mercado no segundo semestre de 2017 totalizaram 3.020 toneladas, avaliadas em US$31 milhões.

O fato é que nos últimos meses, o interesse chinês pela carne bovina dos Estados Unidos ganhou força.

“A USMEF está esperançosa de que essa disputa comercial possa ser resolvida sem que a China introduza obstáculos adicionais para a carne bovina dos Estados Unidos”.

Os pecuaristas dos EUA já esperavam a possibilidade de aumento de tarifa sobre a carne bovina para a China. Contudo, a administração Trump tem até o final de maio para resolver o problema e reverter a possibilidade de que ocorra, na prática, esse aumento de taxa.

Fonte/Créditos: Farm News

Tag

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *