Agropecuária

Embrapa marca presença em eventos no Tocantins e no Pará que têm em comum a discussão sobre sustentabilidade rural

A Embrapa vai participar, nos próximas dias, de importantes eventos na área de transferência de tecnologia no Tocantins e no Pará.

São diferentes temáticas, mas sempre visando à prática de uma agropecuária mais sustentável e com maiores retornos econômicos, ambientais e sociais aos produtores rurais da região.

O primeiro desses eventos acontece no dia 23 de junho em Novo Jardim, que fica no Sudeste do Tocantins, e vai tratar de Integração Lavoura-Pecuária (ILP). A Fazenda Morro Branco possui uma das chamadas Unidades de Referência Tecnológica (URTs) de projeto que a Embrapa e parceiros vêm desenvolvendo com as diferentes possibilidades de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) no Matopiba.

No Tocantins, um dos quatro estados que têm parte de seu território na região – os demais são Maranhão, Piauí e Bahia –, os trabalhos desse projeto são coordenados pela Embrapa Pesca e Aquicultura, que mantém atividades tanto de pesquisa como de transferência de tecnologia na área de sistemas agrícolas, além das temáticas que constam no próprio nome da Unidade.

Na Morro Branco, foram usadas três configurações de integração: milho com braquiária; sorgo forrageiro com braquiária e com eucalipto; e sorgo forrageiro com capim-massai. “A ILPF na fazenda tem possibilitado maior equilíbrio na oferta de alimentos entre os períodos chuvoso e seco do ano. Além disso, a área com eucalipto está se desenvolvendo e será utilizada futuramente na própria fazenda para reforma de cercas”, explica Pedro Alcântara, zootecnista da Embrapa que trabalha com transferência de tecnologia.

E os resultados continuam, segundo ele: “a silagem produzida a partir do sorgo forrageiro tem permitido confinar as vacas de descarte da fazenda, agregando valor a esse produto e apresentando uma margem financeira bastante interessante. Ademais, os pastos formados por meio da integração são utilizados no pico da seca, quando apresentam disponibilidade de forragem e qualidade superiores aos pastos tradicionais”.

CCN – O conceito de Carne Carbono Neutro (CCN) envolve a neutralização da quantidade de carbono emitida num sistema pecuário, que é feita por meio da incorporação do carbono pelas árvores desse mesmo sistema. Para o Tocantins, ainda é uma novidade. Pedro conta que “diante do desafio de validar o protocolo Carne Carbono Neutro no estado, os gestores da Santa Maria foram contatados pela Embrapa em agosto de 2016 e apoiam esta ação desde então. O sistema tem sido monitorado quanto às suas variáveis de solo, produção de forragem, produção animal e também o crescimento do componente florestal. Tais informações são essenciais para o processo de validação”.

Santa Maria é a fazenda onde ocorrerá encontro técnico no dia 29 de junho. Ela fica no município de Campos Lindos, na região Nordeste tocantinense. Segundo o zootecnista da Embrapa, na área foi implantado em 2011 um sistema de ILPF com 70 hectares “por iniciativa de seus gestores, que vislumbraram no sistema uma forma de diversificar a renda da propriedade, que até então estava fortemente baseada na produção de grãos e comercialização de bezerros”. Com a incorporação do conceito CCN e uma consequente certificação, a tendência é de valorização da carne que sai da propriedade, que deverá alcançar nichos de mercado que aceitam pagar preços maiores por produtos obtidos por meio de sistemas de fato ambientalmente sustentáveis.

Expressivo aumento – Quase 29% de ganho na produtividade de soja quando se comparam diferentes glebas na Fazenda Vitória Régia, situada em Santana do Araguaia, Sul paraense. Esse foi um dos resultados conseguidos na URT dessa propriedade que também participa do projeto de transferência de tecnologia em ILPF no Matopiba. Apesar de o Pará não fazer parte dessa região, como a Embrapa Pesca e Aquicultura geograficamente é a Unidade da empresa mais próxima de Santana do Araguaia, foi procurada pelos consultores Rusmar e Mariosval Dueti.

De acordo com Pedro, da Embrapa, os dois irmãos “se tornaram parceiros da Embrapa na multiplicação das tecnologias de ILPF ao integrarem a rede de técnicos multiplicadores do projeto TT ILPF, a qual conta com mais de 40 técnicos com atuação em todo o Tocantins e, pontualmente, no Pará. Foi dessa forma que os Dueti foram desafiados a implantar uma Unidade de Referência Tecnológica e encontraram os parceiros ideais nos produtores Vitório Guimarães e Herbert Guimarães, da Fazenda Vitória Régia”.

O considerável ganho de produtividade foi obtido quando, nessa URT, utilizou-se a técnica de sobressemeadura de capim-mombaça na soja. A média de produtividade nas glebas onde colocou-se em prática a técnica foi de 72,2 sacas de soja por hectare. Nas outras glebas, a produtividade média ficou em torno de 56,06 sacas de soja por hectare. E Pedro ainda completa: “Além disso, o gado teve excelente desempenho no período seco, utilizando a pastagem de capim-mombaça das áreas de integração com soja”.

Quarta edição – E em Pedro Afonso, que fica no Centro-Norte tocantinense, acontece em 13 de julho o IV Encontro Técnico sobre Sistemas de Produção Sustentáveis. Marcado para a Fazenda Brejinho, é mais uma oportunidade de visualizar na prática benefícios de tecnologias no campo. De acordo com o pesquisador da Embrapa Leandro Bortolon, “serão apresentados resultados da safra 2017/2018 da produtividade de cultivares de soja visando a sistemas intensivos de produção e ILP. Também serão apresentados resultados de como os sistemas intensivos contribuem para a resiliência dos sistemas frente às variações climáticas, bem como para o maior aproveitamento de nutrientes pelas culturas”.

A Fazenda Brejinho já é uma tradicional parceira da Embrapa na região, tanto em pesquisa como em transferência de tecnologia. Inclusive, recebeu homenagem pública da empresa em agosto de 2017. Esse tipo de pesquisa, dentro de propriedades rurais e em condições reais de produção, é ressaltado por Leandro: “pesquisas ‘on-farm’ são fundamentais para a rápida adoção das tecnologias investigadas, pois são realizadas no âmbito da fazenda, em escala de campo, nas mesmas condições de produção da fazenda”.

Serviço:

Primeiro evento:

O que: Dia de Campo na URT de ILP de Novo Jardim-TO

Quando: 23/06 das 8h às 12h

Onde: Agropecuária Morro Branco, TO 040

Mais informações: pedro.alcantara@embrapa.br ou 63 3229-7811

Segundo evento:

O que: Encontro Técnico sobre Carne Carbono Neutro no Matopiba

Quando: 29/06 das 8h às 12h

Onde: Fazenda Santa Maria, Campos Lindos-TO

Mais informações: pedro.alcantara@embrapa.br ou 63 3229-7811

Terceiro evento:

O que: Encontro Técnico sobre Sistemas de Produção Sustentáveis no Sul do Pará

Quando: 04/07 das 8h às 12h

Onde: Fazenda Vitória Régia, BR 158, Santana do Araguaia-PA

Mais informações: pedro.alcantara@embrapa.br ou 63 3229-7811

Quarto evento:

O que: IV Encontro Técnico sobre Sistemas de Produção Sustentáveis

Quando: 13/07 das 8h às 12h

Onde: Fazenda Brejinho, TO 010, Pedro Afonso-TO

Mais informações: leandro.bortolon@embrapa.br ou 63 3229-7825

Clenio Araujo (6279/MG)
Embrapa Pesca e Aquicultura

Contatos para a imprensa

Telefone: (63) 3229-7836

Tag

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *