Insumos

Agência francesa diz que proibição de neonicotinoides é exagerada

Dois relatórios traze uma visão "tranquilizadora" sobre o impacto dos defensivos

A Agência Nacional de Segurança Alimentar, Meio Ambiente e Trabalho da França (ANSES) divulgou dois relatórios trazendo uma visão tranquilizadora sobre o impacto dos neonicotinóides para a saúde humana. Os dados estavam previstos para serem lançados há um ano e três meses, mas foram divulgados apenas em março deste ano.

A agência fez a análise dos defensivos acetamipride, tiaclopride, clotianidina, tiametoxam,   imidaclopride, dinotefurano e nitenpirame, os três últimos utilizados em medicamentos para animais de estimação e concluiu que nenhum deles oferece riscos à saúde. A partir desses dados, a ANSES orienta que a proibição desses defensivos alegando prejuízos à saúde das pessoas é um tanto quanto exagerado. “O conjunto de dados […] não mostra um risco inaceitável para a saúde humana, […] minimizar o uso de produtos com base nessa substância até 2018 já é o suficiente”, relata.

O relatório aponta ainda que a substituição dos neonicotinóides por outros inseticidas existentes no mercado, para culturas de cereais como aveia e soja, pode até causar um efeito ecologicamente pior do que a manutenção dos mesmos.

“Das substâncias químicas autorizadas para este uso, o imidaclopride tem o menor indicador de risco alimentar em todos os cereais. Os indicadores mais elevados são o do tiaclopride na aveia e os dos piretróides noutros cereais. Em relação ao risco para a saúde humana, excluindo a dieta, os neonicotinóides têm um indicador de risco mais baixo do que suas alternativas e a teflutrina tem o indicador de maior risco”, diz o relatório.

Existe uma série de discussões sobre a periculosidade ou não dos defensivos  neonicotinóides, a União Europeia chegou até proibir o uso de algumas substâncias do gênero porque afetaria as abelhas. Porém, estudos nunca comprovaram se os defensivos são realmente prejudiciais.

Fonte/Créditos: Portal AgroLink

Tag

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *