Meio Ambiente

Adubação verde com leguminosas

A adubação verde com leguminosas usa plantas que produzem grande quantidade de biomassa, fornecem nutrientes e melhoram a qualidade do solo.

As leguminosas servem como adubo verde porque fixam nitrogênio (N) e geram biomassa rica nesse nutriente. A técnica é vantajosa para diversos sistemas agrícolas.

As leguminosas podem ser usadas em pré-plantio ou rotação de culturas, em consórcios e em faixas intercalares, com diversas culturas de valor econômico e de preservação ambiental.

Podem ser consorciadas com espécies de outras famílias botânicas (“coquetel de adubos verdes”). As leguminosas são roçadas e a palhada pode ser incorporada ou não. Os resíduos se decompõem e melhoram a estrutura e a fertilidade do solo.

O N é liberado e aproveitado pelas culturas de interesse. Os melhores resultados se dão quando plantio e corte das leguminosas são manejados para que o N esteja disponível no momento em que for elevada a demanda por esse nutriente pela cultura de interesse.

As lavouras podem conter leguminosas por certo período ou durante o ano todo. As leguminosas anuais mais usadas são: crotalárias, feijão-de-porco, mucunas, feijão-caupi e guandu. As perenes mais utilizadas são: amendoim forrageiro, calopogônio, galáxia, cudzu tropical e siratro. Dentre as arbóreas, as mais recomendadas são a gliricídia e a eritrina.

Para uso em pré-cultivos, é possível indicar: crotalária e berinjela, crotalária e repolho, crotalária e brócolis, crotalária e couve-flor, espécies que demandam altos níveis de N. Os consórcios podem ser de abóbora com guandu, batata-doce com crotalária, berinjela com feijão-caupi, milho com crotalária, milho com feijão-de-porco e quiabo com crotalária.

O maior benefício é o incremento em renda, com redução no uso de fertilizantes nitrogenados, menor custo e menor impacto ambiental. Há outras vantagens, como maior produção, maior teor de matéria orgânica, maior diversidade de cultivos, menor erosão, maior retenção de água, melhor ciclagem de nutrientes, controle de plantas espontâneas e inibição de pragas e doenças.

A disponibilidade de sementes de leguminosas pode ser limitante, devendo o agricultor buscar autonomia em sua produção.

Fonte/Créditos: Embrapa 

Tag

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *